Guerra Espiritual
“No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça; E calçados os pés na preparação do evangelho da paz; Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos.”   Efésio 6.10-18

O texto de Paulo a Efésios tem sido a base mais usada pela maioria dos crentes quando o assunto é a guerra espiritual contra as hostes de Satanás. Eles são os nossos inimigos como demonstrado no verso 12, e não corpo ou alma de humanos. Ainda que estes possam ser instrumentos do inimigo, nossas armas devem ser direcionadas para o alto. Esse assunto é o ponto mais forte do texto e vem sendo exaustivamente pregado.

Chamam a atenção neste texto três coisas;
A procedência de nossa força
A maior das armas do inimigo
As nossas armas

1- O SENHOR, A nossa força
Nossa força vem do Senhor. Isso é sabido da maioria dos cristãos. Aqueles que ainda buscam extrair de si mesmo as forças no combate espiritual, ou a sabedoria, ou o poder, ou a auto-determinação, ou a força de vontade para se superar no combate contra o inimigo devem urgentemente se converter pois ainda não conheceram o que é arrepender e crer no evangelho significa:
“Depender de Deus 100%”.

Em termos muito práticos devemos confiar em duas coisas diante do inimigo: No poder e na palavra do nosso Deus. Não confiemos em nossos sentimentos, o que achamos ou pensamos. Lembre-se: em confronto espiritual, lembre-se de que você nada sabe, nada além de Cristo, e Cristo crucificado. (1 Cor 2:2). Você nada pode, pois é o Espírito quem opera em nós o querer e o fazer (Fp 2:13).

A maior das armas do Inimigo
Observem que normalmente a ênfase do texto de Efésios é dada às nossas armas e esquecemos de olhar as armas do inimigo. As “astutas ciladas do inimigo” são o motivo principal da existência de nossa armadura de crentes. Ciladas significam armadilhas. Astutas ciladas significam armadilhas sabiamente montadas.

A maior das armadilhas do inimigo consiste em nos fazer pensar que podemos e sabemos algo. Foi esta a armadilha usada contra a Varoa, no Gênesis. “como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal” (Gn 3:5). O diabo quer nos convencer de que podemos ser como Deus e que portanto, temos tudo em nossas mãos.

Mas a sagacidade (astúcia) do nosso inimigo vai bem além. Ele é acusador. Sabe que não somos Deus. Mas depois de nos fazer confiar em nós, apressa-se em criar condições para que venhamos ser surpreendidos em transgressões causadas pela nossa auto-confiança. Essa transgressão lhe dará direito jurídico de nos acusar. Acusando-nos, ele nos desarma, pois nos atribui culpa. E o dardo inflamado do diabo atinge-nos, por que a culpa é a base para a destruição de nossa fé.

Não confunda arrependimento com culpa. Arrepender é a decisão do homem contrito em buscar a Deus por saber-se incapaz de alcançá-Lo. Culpa é o remorso daquele que se vê desamparado por que confiou em si mesmo e agora não tem a quem recorrer a não ser arrependendo-se.

Exemplos práticos;
Uma discussão entre casal, muitas vezes a forma e o tom de falar. (xingar,gritar, ofender, agredir, ignorar entre outros)
Baixo auto estima, orgulho, dramática, vocabulário inadequado
Pessoas depreciativas, mal-humorada.
Sensualidade, mentiras
Situações nas quais você acaba caindo sem perceber na sua casa com sua família, com seus amigos, no seu trabalho.

Nossas armas
Com ele devemos cingir nossos lombos. A verdade é absoluta. Jesus é a verdade. Não há relativismo moral quando existe a verdade. Se a verdade existe e ela aponta o nosso erro, não interessará o que penso ou deixo de pensar a respeito. Não pretenda ser o dono da verdade. Deixe que Jesus o seja.

Couraça da Justiça
Fundamental entendermos que a justiça vem de Deus. Ele nos justifica e nos faz justos, mediante o sangue de Jesus derramado na cruz. Devemos sempre ter em mente de que estamos, por natureza, errados, sempre. Mas Jesus amorosamente nos permite comparecer diante do pai, nos justifica e nos aprova diante dele. Acobertados pela justiça que Jesus nos derramou, não podemos ser acusados ou culpáveis. Não há culpa. Arrependa-te do teu erro, irmã. Mas rejeite o inútil sentimento de culpa, meu irmã. Tome a couraça da justiça

Botas da preparação do evangelho da paz
O termo “preparação”, comparado as traduções em outras línguas , pode ser melhor entendido como “prontidão”. Ou seja, Paulo nos recomenda que estejamos com a prontidão do evangelho da paz. Portanto, o bom combatente do Senhor é aquele que não retarda ou adia o combate, usando o evangelho como recurso para caminhar. É o evangelho quem nos dá a prontidão e nos protege contra o pó da terra, que simbolicamente é a carne, do qual o homem foi feito

Capacete da salvação
O diabo tem uma predileção em atingir, sobretudo os novos na fé, colocando-lhes dúvidas quanto à certeza de sua salvação. Aquele que confiou na palavra de Jesus e nos seus ombros colocou o peso de sua vida está salvo. Por causa da fidelidade da palavra DELE. Não interessa o quão você está (in)segura ou o que você sente a respeito desta realidade espiritual. Se a palavra DELE nos assevera a salvação, NADA A REVOGARÁ

A espada do Espírito, a palavra
Esta é a nossa principal arma de ataque. Todas as demais armas são defensivas. A forma como você coloca o diabo para correr é invocando a palavra de Deus. Jesus venceu o diabo usando a palavra do Senhor. Ele era a própria palavra, o verbo, encarnado. Em uma situação de cilada do diabo, use a palavra do Senhor contra o teu inimigo. Distinga-o primeiramente (teu alvo não são as pessoas, nem sangue nem carne!). Repreenda-o usando a espada do espírito. Não preste a atenção no que ele vier a dizer. Não dialogue com ele. Faça como Ezequias diante de Senaqueribe. Coloque diante do pai o que ele disse e o Senhor lhe dará a palavra contra o inimigo, e o humilhará, e o fará voltar pelo caminho de onde veio (Is 37:29).

Sobretudo o escudo da fé
É o escudo da fé quem apaga os dardos inflamados do diabo. Ele é quem te dá a proteção contra o acusador de nossas almas. A fé não é o que você sente ou pensa. Mas a certeza na palavra do Pai. Por que Ele o disse. Mesmo que você tenha dúvidas no coração, sustenta-te na palavra DELE, pela simples razão de que Ele DISSE. É contra a fé que o diabo lança a maioria das ciladas. Muitas vezes, a astúcia do diabo não está em tirar a fé que você tem em Jesus, mas em colocar outra coisa (ou você mesmo) como centro e alvo de tua fé. ATENÇÃO PARA ISSO.
O exercício desta batalha espiritual passa pelo exercício da fé, da justiça procedente de Deus, da verdade, da prontidão do evangelho, da verdade, da palavra. Esses seis componentes da armadura (6 é o número do homem) feita para nós são complementados pela prontidão de um soldado (perseverança) e pelo sentido de corpo (intercessão pelos santos), sem os quais nenhum Exército subsiste.
Não te turbes. JESUS É O SENHOR DOS EXÉRCITOS

Recebemos um comentário muito tocante e gostariamos de compartilhá-lo com todas, então resolvemos publicá-lo como texto pois como comentário ele não teria o destaque merecido.É o testemunho da MARIA CRISTINA PEREIRA DOS SANTOS;

“Participo do grupo de mulheres desde o primeiro culto e estou muito feliz, pois encontrei mulheres de Deus e muito carinho. Agradeço a Deus e também a Prª Rose a oportunidade de ministrar o louvor e a cada dia que passa me sinto mais feliz e desejo fazer o meu melhor para Deus pois Ele é digno de todo o louvor e de toda a honra, gostaria de partilhar o meu testemunho pois Deus fez algo tremendo na minha vida.

Há cinco anos Deus levou minha mãe e passado onze meses Deus levou minha irmã e devido os acontecimentos comecei a sofrer de depressão e sindrome do pânico, perdi toda a vontade de viver, não pedia a morte mas me sentia só, embora tendo minha família, não me sentia preenchida, tinha a plena conciência que o buraco em que me encontrava era muito profundo, pois desde criança frequentei igreja e aos onze anos me batizei na Assembléia, conhecia a palavra de Deus, não estava desviada, mas estava fraca e não tinha forças nem para orar.

Muitas vezes, quando minha agonia começava a noite eu me levantava e ia sozinha ao médico pois não queria acordar meu marido e meus filhos de madrugada, mas não encontrava a cura, comecei a tomar remédios fortes que me dopavam mas não me curava. Um dia, já não aguentando mais a dor da saudade, (já fazia três dias que não comia, não tomava banho nem saia de casa) reuni minhas poucas forças e pedi á Deus que me restaurasse, eu desejava ser novamente uma mulher valente e corajosa , chorei muito aos pés do Senhor, então me levantei, fiz a janta aquela noite, tomei banho, mesmo sem vontade mas tudo que fazia pedia forças a Deus. Chegou a madrugada, a hora mais difícil, foi então que falei para Deus que se ele me restaurasse eu iria trabalhar em Sua obra, na igreja, mesmo que precisasse lavar banheiros, o que precisasse ser feito eu aceitaria, aquela noite não corri até o hospital, mas passei a noite cantando baixinho.

E Deus me ouviu pois a irmã que limpava a igreja precisou se ausentar então fiu substitui-la, lavei os banheiros e o salão social por uma semana. Chamei outras pessoas para me ajudarem e elas não apareceram, então Deus me falou “A benção é sua, eis aí a oportunidade” . Vi o agir de Deus e comecei a limpar tudo com muito carinho e amor, muito mais do que quando limpo minha casa, cada dia eu limpava um local, pois a igreja do Abaeté (onde eu limpava) é muito grande, mas a igreja não ficou suja nem um dia pois me sentia agradecendo á Deus.

E cada dia que passava eu me envolvia mais com o trabalho na igreja, então comecei a trabalhar no grupo que fazia visitas, um dia sendo convidada a fazer uma visita, fui, chegando lá encontrei uma senhaora de setenta anos com cancêr em fase terminal . Nesse momento falei com Deus “Senhor essa senhora está morrendo e eu com sindrome do pânico de morte, e agora?”, então Deus tocou em meu coração me levando a fazer uma oração, segurei a mão daquela senhora e comecei a orar e naquele momento Deus a levou e ela faleceu segurando minha mão.

Senti uma emoção muito grande pois naquele momento fui curada, percebi que Deus me levou até lá,me levou bem próximo da morte para me curar, saí de lá agradecendo a Deus e por isso eu preciso trabalhar para o Senhor, pois tenho que honrar o meu compromisso com Ele, trabalhar para Deus seja para o que for eu estarei disponível em suas mãos”.